Viciadas em Séries #18: Dead Like Me

dead-like-me-wallpaper

Georgia Lass, com apenas 18 anos, se encontra indiferente com a vida. Depois de abandonar a faculdade, é obrigada por sua mãe a arranjar um emprego. Eis que no primeiro dia de seu novo trabalho, é atingida por um assento de vaso sanitário da Estação Espacial Russa MIR e MORRE! No entanto, Georgia será convocada por um grupo de ceifadores, responsáveis por ceifar a alma dos mortos. Com essa segunda chance, “George” perceberá que, ás vezes, temos que morrer para aprendermos a viver!

Calma, calma, calma. O que disse aí em cima não é nenhum spoiler, rs… O seriado realmente começa com a morte de George. Adoro histórias que começam “pelo fim” (como Memórias Póstumas de Brás Cubas, Drop Dead Diva e Yuyu Hakusho =D), portanto, quando vi o titulo na Netflix, resolvi ver se era bom.

Dead Like  Me (A Morte Lhe Cai Bem, em português) foi produzida entre 2003 e 2004 pela Showtime, tendo, assim, somente duas temporadas. Se, por um lado isso me animou a assistir, pois já estou ficando enjoada de séries que se prolongam e se prolongam, perdem o foco e nunca chegam à uma conclusão, por outro, também tem um ponto desfavorável: terminou sem um final bem definido, foi simplesmente cancelada.

Como disse na sinopse, Georgia é muuuuito apática em relação a tudo. Essa é a principal característica da personagem. Sei que tal era necessário para que George só se tornasse “viva depois de morta”, todavia, não creio que a intérprete, Ellen Muth, conseguiu passar o necessário nos momentos de animação, o que acabou por me irritar um pouco ver ela sempre com a “mesma cara de repolho”, entendem?

Além de Georgia, sua família e seus novos companheiros ceifadores também terão que lidar diariamente com a morte, seus desenrolares e consequências…

Para quem procura um seriado rápido, leve mas com uma certa profundidade, que possui momentos de drama sem parecer novela mexicana (vide Grey’s Anatomy, em minha opinião) e comédia sem ser hilária, é um bom seriado para passar o tempo. No  entanto, como fica tudo na média, para mim, nada mais é do que um seriado pouco mais que mediano…

3,5

Anúncios

Domingo é dia de… Música \o/ #11 – Cory Monteith

cory

Infelizmente, sábado passado soubemos da morte de Cory Monteith, que interpretava Finn em Glee. Sua morte, causada por overdose (heroína + álcool) foi repentina. Infelizmente, vi só a 1ª temporada de Glee, mas algumas performances de Cory são inesquecíveis. Então, hoje as músicas serão de Glee, interpretadas por Finn na série.

1 – Rachel e Finn interpretando Don’t Stop Believin

2 – Just the Way You Are

3 – Man in the Mirror

4 – We’ve Got Tonight

5 – Can’t Fight This Feeling

='(

Filme: Guerra Mundial Z

Entre amigos no cinema, escolhemos assistir Guerra Mundial Z. Fui sem saber nada sobre o filme, só soube que era do Brad Pitt pelo folder, confesso que queria assistir Universidade Monstros. Mas até que não foi má escolha. Pra mim, o filme não tem grandes novidades, sendo que o tema zumbi já está por todos os cantos. Confesso que achei bem semelhantes aos primeiro episódios de The Walking Dead, com os mesmos fundamentos. Porém, o filme tem aquele toque de horror que TWD não tem. Algumas cenas até tem um suspense, mesmo eu assistindo em versão normal, porém também há disponível em 3D.

Gerry é um pai de família quando acontece uma invasão de zumbis na terra. Ele e sua família tentam se proteger e para permanecer em um local seguro. Gerry volta a trabalhar como investigador da ONU, já que tinha deixado o cargo para estar com sua família. Junto com uma equipe, procuram uma solução para descobrir mais sobre essa infestação com um contágio rapidamente, tentando salvar a população humana. Sem tempo e com muitos adversários, Gerry percorre lugares atrás de respostas.

É um filme que tem ação, um toque de suspense e terror. Entretém o telespectador, porém, como já disse, sem grandes novidades. A censura deixa algumas partes meio sem graça eu queria ver sangue, mas tem cenas de mortes, principalmente de zumbis, entre outras coisas que compensa.

4