Canais de Cozinha e Gastronomia que eu sigo

Tem muito conteúdo legal no Youtube né? Separei os canais de cozinha/comida/gastronomia que eu vejo e sigo. Sabe o que é engraçado, eu que sou da área não tenho muitas inscrições nos canais de cozinha, geralmente quando assisto o youtube vejo vídeos de moda, beleza e comportamento, além de vlogs. Escolhi 3 canais que considero profissionais, que utilizam mais técnicas de cozinha e tem um conteúdo um pouco mais avançado, e 3 canais mais amadores, onde são pessoas normais que gostam de cozinhar e mostrar à todos.

Profissionais

1 – Cozinha Bossa & Malagueta

Um dos meus canais favoritos, possui muita coisa de confeitaria. A Dani passa muitas técnicas e receitas muito boas. Fico com água na boca cada vídeo que assisto. Separei uma das receitas mais queridinhas e chatinhas de fazer.

2 – Gastronomismo

Adoro tudo nesse canal se fosse fazer um canal no youtube sobre gastronomia seria desse jeitinho. Adoro principalmente os cenários escolhidos e as receitas executadas. Tudo super escolhido a dedo. Separei um drink muito bom, que eu fiz e aprovei, super harmonioso e gostoso.

3 – Dulce Delight

A Raiza é brasileira que vive nos Estados Unidos e tem um canal super legal de cozinha, principalmente confeitaria. Ela também faz dublagens dos seus vídeos, o que eu acho super engraçado para quem não sabe inglês. O curioso é que meu inglês é bem ruim, mas consigo entender o que ela está falando em inglês, hahaha. O cenário é super bonitinho, tudo em candy colors. Separei a receita de um rocambole todo confeitado, super lindo. ❤

Amadores

1 – Brogui

Quem nunca pesquisou uma receita e encontrou um vídeo do brogui? Vi o Ana Maria Brogui desde o primeiro episódio, e engraçado como consigo ver a evolução do Caio. Antes não tinha nenhum equipamento e agora esbanjando, rsrsrs. Muitas das receitas que ele faz são marcas conhecidas no mercado. Separei o do yakult, porque todos querem um yakult de dois litros né. O Caio também vai ao programa Mulheres na Gazeta, sempre que posso assisto.

2 – Rolê Gourmet

Também foi um canal que vejo desde o primeiro episódio. O PC foi genial em chamar o Otávio e criar esse canal. Confesso que assisto mais pelas besteiras faladas do que as receitas. Tem bastante gente famosa que vai fazer receitas com eles. Separei o vídeo com participação da Bruna Vieira, do Depois dos Quinze

3 – Fabi Santina – Brincando de Ana Maria

Agora que vejo que sou viciada no youtube. Também vi os primeiros vídeos da Fabi, graças a Nina, sua irmã. A Fabi fala mais sobre compras, moda, tags, mas também faz algumas receitas bem legais.

Espero que acompanhe meus canais favoritos.

 

 

Anúncios

Gastronomia #3 – Facas

Sabendo o que é mise en place*, é preciso mencionar o principal utensílio de uma cozinha: a faca. Elemento essencial, em muitas situações uma boa faca pode até substituir outros utensílios como um ralador, descascador ou processador. Todo cozinheiro deve ter suas própria facas, saber manuseá-las e conhecer o melhor uso para cada uma delas. Cada faca tem seu tamanho e uso próprios. ( Livro 400 g)

*Pra quem não sabe o que é mise en place, irei citar em outros posts, aguardem.

Então, como prometido no post de uniformes, meu terceiro post sobre gastronomia será sobre facas. Sei que é estranho falar sobre facas e eu concordo, mas depois que você começa a conhecer esse assunto, você virará um viciado, irá comprar todos os modelos, de todos os tipo, de todas as cores. O assunto é longo, então tentarei dividi-lo e abordarei mais pra frente assuntos relacionados como afiação, pedras de amolar, chairas entre outras coisas.

Lembro que meu primeiro trabalho da faculdade foi sobre facas e utensílios de cozinha. Não era um trabalho fácil pois todo o assunto tinha que ser abordado em 10 páginas, mas com umas espremidas aqui e ali deu pra abordar bastante coisa. Também lembro das primeiras coisas que pediram pra nós comprarmos pra utilizarmos nas aulas práticas: uns 5 tipos de facas diferentes. E esse número é baixo perto das muitas existentes. Antes de começar o curso, sempre tive dificuldade para cortar alimentos, mas depois  você percebe que está utilizando a faca errada para corte. Sempre utilizava a faca de mesa para cortar tudo: desde descascar frutas e legumes, até cortar carnes ou outras coisas. Meu primeiro corte sério na mão foi ainda pequena, quando quis partir uma maçã ao meio com uma faca de mesa e ainda utilizando a minha mão como apoio, não deu outra, tive um corte com uma faquinha serrilhada que dói mais bem no meio da palma da mão. Agora sei que além de usar a faca errada, não tinha uma base para apoio.

Algo muito importante além da faca é a base de apoio. O ideal são tábuas de corte, as mais indicadas são de polietileno, mas se for usar em casa, uma de madeira também serve (apenas em casa, pois segundo a legislação não pode utilizar utensílios porosos em cozinhas comerciais/ industriais). Evite as placas de vidro, pois estraga com o fio da sua faca. Para sua base não ficar balançando aqui vai um segredo: embaixo coloque um perfex ou papel toalha molhado, isso criará atrito entre a base e o apoio.

E não se esqueça de mantê-las sempre afiadas e guardá-las em um local seguro.

As principais facas que você tem que ter pra começar são:

31021-181_GGFaca do Chef – tem a lâmina de 20 a 35 centímetros de comprimento. Sua ponta ligeiramente curvada permite que se balance a faca, facilitando o ato de picar. É a mais versátil das facas. Com ela, dá pra obter os principais cortes.

images (1)

Faca de Desossar – Lâmina de 15 cm, usada principalmente para separar a carne do osso. Sua lâmina é rígida e tem uma ponta ligeiramente afiada, facilitando o desosse.

tornearFaca de Tornear – é utilizada especialmente para fazer um corte chamado tourné, que consiste em um corte no formato de barril, com sete lados iguais e horizontais, usado em decoração. Sua faca é pequena e tem a ponta curvada, como um bico de papagaio.

403854Faca de Legumes – Lâmina de 5 a 10 cm, usada para pequenos cortes sobretudo em frutas e vegetais. É uma versão pequena da faca do Chef.

images (2)

Faca Serrilhada – Utilizada para cortes em certos alimentos, tais como pães, bolos, tomate, frios, etc.

Prometo que farei um post sobre afiação. Espero que tenham gostado. Qualquer dúvida é só deixar um comentário.

Blogs e Vlogs que você deveria conferir #5 – Marketing na Cozinha

logoNão sei se é bem um blog, mas sei que é bem legal. Acompanho o Marketing na Cozinha desde o comecinho de 2011. É disparado meu site preferido de comida, idéias, sugestões. Mas ele tem um jeito diferente: não publica receitas, não há medidas ou modos de preparo. É uma ideia inovadora que mostra o outro lado da gastronomia. Se fosse pra ter uma aula de mkt voltado pro ramo de alimentação escolheria o Rafael pra me dar aula.

É muito interessante de saber mais sobre marcas, design, imagem, publicidade de coisas relacionadas à comida. Nele dá pra tirar ideias, descobrir curiosidades e tudo isso sem precisar ver receitas.

Um dos vídeos que vi lá e vale a pena publicar aqui, uma campanha publicitária de um restaurante espanhol de tapas. Muito bem bolado.

Gastronomia #2 – Uniforme

Se você tem interesse de cursar Gastronomia, primeiro recomendo que veja esse post. Se continuou interessado pelo assunto, devo alertá-lo que a faculdade de Gastronomia não é uma das mais baratas, você terá que embolsar entre R$ 1.000 e R$ 2.000 reais nas faculdades particulares, e sinto lhe informar mas não existem tantos cursos em faculdades públicas, infelizmente. E, além de desembolsar essa grana, saiba que ganhará menos do que isso quando começar a trabalhar. Sim, você pagará a mais do que ganhará. Mas também há lados bons: o curso tem apenas 2 anos, então é um investimento mediano; não precisará gastar dinheiro com lanches na cantina; comerá comidas que nunca viu na vida; beberá vinhos muito bons que custa os olhos da cara e o principal: adquirá experiências.

A maioria se decepciona muito quando descobre que vai ganhar o mesmo ou até menos do que pagava pela mensalidade da faculdade. (Jefferson Rueda)

Agora, além de tudo, no começo ainda terá que investir em uniforme, facas e utensílios. Separe um dinheiro antecipado para isso, as vezes precisará comprá-los no mesmo mês do ínicio das aulas. Primeiro de tudo: Não compre nada por antecedência. Se realmente matriculou-se no curso de gastronomia, espere o anseio passar e vá buscar informações do que necessitará nas aulas, com os professores. Geralmente, na primeira aula eles dão uma ideia do que é necessário ter, mas varia muito de professor para professor. Aqui, vou dar uma ideia do uniforme em geral:

New-Style-and-Hot-Design-Chef-Uniform-Cu-10

1 – Dólmã– com certeza você já viu, mesmo que não saiba o nome. Todos os “chefs” usam. É o uniforme dos gastrônomos. Minha recomendação é que seja branca (geralmente é exigida a branca com detalhes pretos) de 100% algodão (prefira o algodão pois em caso de algum incêndio, o algodão queima em uma velocidade menor do que tecidos sintéticos), de mangas compridas (é uma das exigências, para evitar queimaduras nos braços), e uma dica muito importante: prefira a que tem duas faces, onde você pode trocar a parte exposta (sério, em aulas práticas seguidas sem tempo de lavar a dólmã, é muito essencial). Algumas faculdades exigem que tenha o logo bordado, então, minha recomendação é bordá-lo em tecidos removíveis que são presos com velcro, para poder “reaproveitar” sua dólmã em outras instituições.E, se você não comanda nenhuma cozinha e acabou de entrar no curso, por favor, não borde CHEF Fulano de Tal. O preço varia bastante, dependendo do tecido, cor, botão ou zíper, enfeites. Varia entre R$ 70,00 e R$ 140,00.

2 – Calça Pied Poul – famosa calça “xadrez”, prefira novamente as com 100% algodão. O tecido não aparece tantas manchas de gordura ou sujeira, por isso que são usadas na cozinha. Você encontrará as com zíper e botão ou com elástico, que são muito mais confortáveis. Geralmente estão entre R$ 40,00  á R$ 70,00.

3 – Avental – usamos o meio avental, aquele que vai da cintura até o meio da perna. As vezes é exigido cores neutras (branco ou preto), se não tiver restrições quanto a cor, prefira o preto que suja menos. Entre R$ 30,00 a R$ 50,00

4- Toque – aposto novamente que você vê em todos os lugares, mas não faz a mínima ideia do nome. O toque é o famoso chapéu do chef. Há os de pano e os descartáveis. Se possuir cabelos compridos, prefira os de algodão. Estão entre R$ 10,00 e R$ 15,00 reais.

5 – Sapatos – Um dos itens mais importante do uniforme. Um bom sapato fará muita diferença nas muitas horas que permanecerá em pé. Não considere preço na hora de comprar um. Os sapatos para cozinha devem ser anti-derrapantes, totalmente fechados e de materiais resistentes. Eu recomendo o Crocs Bistrô, aquele fechado que não tem os furinhos. Muitas pessoas odeiam os Crocs, mas eles são milagrosos quando se passa o dia todo de pé. Ok, a aparência não é tão legal assim, mas você não ligará para isso em nome do conforto. Prefira o preto, para não aparecer a sujeira. O preço do Crocs Bistrô é por volta de R$ 130,00.

Bom, o melhor lugar para comprar em São Paulo é na Paula Souza. Lá você vai encontrar muitas lojas para experimentar. Recomendo que não compre nas primeiras lojas e caminhe mais um pouco, pois encontrará produtos de melhor qualidade. A maioria do meu uniforme comprei na loja Avental & Cia. Recomendo.

E, irei tentar fazer um post sobre as facas e utensílios também, então, continuem acompanhando =)

Gastronomia #1 – Faculdade

Saber Cozinhar não faz de ninguém um chef. (Benny Novak)

O ensino nas salas de aula está muito distante da prática. (Jefferson Rueda)

Aproveitando que hoje é dia do cozinheiro, vamos falar sobre essa profissão. (E parabéns se você faz parte desse time).

Vamos tentar começar do início: Faculdade de Gastronomia. A maioria dos cursos oferecidos nessa área são Tecnologia em Gastronomia. Geralmente, o curso é curto, de apenas 2 anos, com o foco bem direcionado, com matérias teóricas e práticas. As aulas não são apenas em cozinha,  mas também atenção em matérias como história da alimentação,  boas práticas de manipulação, francês, nutrição e até engenharia de cardápio. Não espere apenas aulas práticas, mas quem faz faculdade de gastronomia tem que saber muito além de cozinhar. Atualmente, a área de Gastronomia está em alta, muitas universidades e faculdades introduziram o curso para suprir demanda, tem muita procura de interessados.

gestaonegociosecia.blogspot.com

Se você tem interesse pelo curso, saiba, antes de tudo, que não é todo o glamour que é os veículos de comunicação transmitem. Para chegar ao status, muito suor terá que ser derramado, e, acredito eu, que isso apenas não basta. Tenha consciência que você provavelmente trabalhará em fins de semana, não terá hora para entrar ou sair, os feriados são os dias mais exigidos e ainda assim você ganhará pouco. Então, antes de se precipitar e já matricular-se em algum curso, sugiro que leia esse post, para pensar melhor:

http://whatthefood.com.br/50-coisas-que-ninguem-te-avisou-sobre-trabalhar-em-uma-cozinha-profissional/

E, se, ainda sim, você é um amante pela gastronomia e quer arriscar, a faculdade será a melhor época da sua vida. Você terá que se comunicar (não tem jeito dentro da cozinha), por vezes terá que ser líder e assumir responsabilidades, se irritará por motivos mínimos (pois um segundo de distração e já era), brigará com seus melhores amigos dentro da cozinha, conhecerá as pessoas de verdade, fará amigos e inimigos para sempre, conhecerá as mulheres pessoas na sua forma mais natural (sim mulheres, não pode usar maquiagens, esmaltes, etc), beberá com todos nas aulas de coquetéis, desfrutará de comidas muito boas (e ruins), se divertirá em todas aulas, por hora terá vontade de largar tudo, mas se persistir e continuar, você conseguirá e esse curso te conquistará. Por fim, deixo aqui algumas instituições de são paulo que disponibilizam o curso:

Centro Universitário Barão de Mauá – Avenida Itatiaia, 1776, Jardim Sumaré, Ribeirão Preto.

Centro Universitário de Votuporanga – Unifev – Cidade Universitária, Avenida Nasser Marão, 3069, Parque Industrial, Votuporanga.

Centro Universitário do Norte Paulista – Rua Ipiranga, 3460, Jardim Alto Rio Preto, São José do Rio Preto.

Centro Universitário Monte Serrat – Avenida Rangel Pestana, 99, Vila Mathias, Santos.

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio – Rua do Patrocínio, 716, Centro, Itu.

Centro Universitário São Camilo – Rua Moreira de Godoy, 312, Ipiranga, São Paulo.

Centro Universitário Senac – Avenida Engenheiro Eusébio Stevaux, 823, Santo Amaro, São Paulo.

Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo – Avenida Nossa Senhora do Sabará, 765, Chácara Flora, São Paulo.

Faculdade Anhanguera de São Caetano – Rua Conceição, 321, Santo Antonio, São Caetano do Sul.

Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Gastronomia e Turismo de São Paulo – Hotec – Rua das Palmeiras, 184, Santa Cecília, São Paulo.

Faculdade Mário Schenberg – Estrada Municipal do Espigão, 1413, Granja Viana, Cotia.

Faculdade Método de São Paulo – Famesp – Avenida Jabaquara, Saúde, São Paulo.

Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU – Avenida Liberdade, 654, Liberdade, São Paulo.

Faculdade Paschoal Dantas – Avenida Afonso de Sampaio e Souza, 495, Itaquera, São Paulo.

Instituto Educacional Jaguary – Rua Adhemar de Barros, km 127, Pista Sul, Tanquinho Velho, Jaguariúna.

Instituto Gastronomico – IGA – Avenida Barão de Itapurá, 729, Botafogo, Campinas.

União das Faculdades dos Grande Lagos – Rua Eduardo Nielsen, 960, Jardim Aeroporto, São José do Rio Preto.

Universidade Anhembi Morumbi – Rua Doutor Almeida Lima, 1134, Mooca, São Paulo.

Universidade Católica de Santos – Avenida Conselheiro Nébias, 300, Vila Mathias, Santos.

Universidade Cruzeiro do Sul – Avenida Regente Feijó, 1295, Anália Franco, São Paulo.

Universidade de Franca – Avenida Doutor Armando Sales de Oliveira, 201, Pq. Universitário, Fanca.

Universidade de Ribeirão Preto – Avenida Castábile Romano, 2201, Ribeirônia, Ribeirão Preto.

Universidade de Sorocaba – Rodovia Raposo Tavares, km 92,5, Jardim Novo Eldorado, Sorocaba.

Universidade de Sagrado Coração – Rua Irmã Arminda, 10-50, Jardim Brasil, Bauru.

Universidade de Vale do Paraíba – Univap – Avenida Shishima Hifumi, 2911, Urbanova, São José dos Campos.

Universidade Guarulhos – Praça Tereza Cristina, 88, Centro, Guarulhos.

Universidade Metodista de Piracicaba – Rodovia do Açúcar, km 156, Taquaral, Piracicaba.

Universidade Metodista de São Paulo – Rua Dom Jaime de Barros Câmara, 1000, Planalto, São Bernardo do Campo.

Universidade Paulista – Unip – Avenida Torres de Oliveira, 330, Jaguaré, São Paulo.

Universidade São Francisco– Rua Cel. Silva Teles, 700, Cambuí, Campinas.

Para Ler #1 – O Cozinheiro Cientista

Estreando as indicações de leitura, óbvio que meu livro escolhido tem que ser uma mistura de gastronomia, com uma pitada de ciência, e com experiências bem curiosas. O livro que estou falando é “O cozinheiro cientista”, do nossos Los Hermanos argentinos Diego Golombek e Pablo Schwarzbaum,e retrata a culinária como ciência, a cozinha como nosso laboratórios e os alimentos como nossos experimentos. o-cozinheiro-cientista--quando-a-ciencia-se-mete-na-cozinha---diego-golombek-e-pablo-schwarzbaum_6586387_169310

Com apresentação escrita pelo famoso Ferran Adrià, consegue misturar história, química, culinária e resultar num livro de fácil compreensão, de rápida leitura e de querer saber mais e mais com as experiências nele contida. Traz capítulos separados por refeições ou ingredientes, com algumas receitas/experiências entre eles.  Deveria ser leitura obrigatória para estudantes de gastronomia e nutrição. Merece ter seu tempo dedicado para essa leitura. E não deixem de ler a bibliografia comentada.

“…O alquimista culinário é capaz de saber muito facilmente se o ovo recém cozido está duro ou não: fazendo-o girar de lado sobre a mesa. Se ele girar rápido é porque está bem duro; se for difícil e ele ficar meio molenga, ainda está cru (as partes moles se opõem ao movimento,girando por si). De passagem, uma vez que saibamos que o ovo está duro, convém tirar a casca enquanto ele ainda está quente (é melhor do que tirá-lo sobre a água corrente fria). Convém começar a quebra-lo pela extremidade mais larga (onde está o ar), que é mais fácil…” 

5