Domingo é dia de… Música \o/ #51 – The Police

Anúncios

Filme: Dr. Seuss O’Lorax: Em busca da trúfula perdida (2012)

Dr. Seuss' The Lorax

Esse filme entrou esses dias no catálogo da Netflix, e, sinceramente, não tinha grandes expectativas em relação à ele. Nunca tinha ouvido falar nas histórias do Dr. Seuss, mas pesquisando agora, parece que é bem famoso nos USA. O filme é baseado no livro infantil publicado em 1971 e uma série baseada nesses contos conscientizando sobre o meio ambiente.

O filme que é uma animação, conta a história de Ted, um garoto que vive em uma cidade com sua mãe e avó. A cidade é totalmente fake, não possuindo nada natural. Isso é demonstrado no filme de uma forma totalmente sarcástica, onde as árvores são de plástico com luzinhas que mudam de cor, o gramado é de e.v.a, o ar é engarrafado. O “maior” cara da cidade é o criador do ar embalado, e o ar é vendido como água, onde as pessoas compram em galões de 20 litros ou garrafas menores e sua propaganda parece de enxaguante bucal. E, pensando bem, para uma história criada em meados dos anos 70, atualmente isso não está longe da nossa realidade.

Ted gosta de uma garota chamada Audrey, que sonha ver uma árvore real, chamadas de trúfulas. Ted faz de tudo para encantar Audrey e aí começa sua jornada para achar uma árvore real. Ted conhece UmaVez-Ildo, o ser capaz de conseguir uma trúfula e ele lhe conta sua história. Depois disso começa a aventura de Ted para salvar o ambiente e conquistar Audrey.

Achei uma animação muito bonitinha, sou apaixonada por animações. Além disso, seus dubladores são bem famosos, o Dr. Seuss é dublado pelo Danny DeVito, a Audrey pela Taylor Swift e Ted pelo Zac Efron. Mas, sinceramente, adoro assistir desenhos e animações dubladas, porque nossos dubladores são muuuuito bons e me remete a infância.

Abaixo, a abertura da animação, minha canção favorita:

Seria uma animação bem normal se não fosse nossa realidade. Fico impressionada que as grandes cidades estão tão poluídas, nossa água, ar, natureza estão sendo prejudicados e essa animação demonstra para as crianças o cuidado com o meio ambiente. Quando vi esse quadrinho imediatamente associei ao filme:

10171159_746868605347718_7398723733390686395_n

Agora quero ler todos os livrinhos do Dr. Seuss e seria legal que nossas crianças tivessem acesso à esse conteúdo. Para quem quer conhecer mais, há um site em inglês que possui muitas atividades.

5

Domingo é dia de… Música \o/ #50 – Anitta + App Shazam

Essa semana foi bem corrida e acabamos não conseguindo produzir post para o blog. =(

Mas vou aproveitar pra falar de um aplicativo que muitas pessoas já conhecem, o Shazam. Esse app reconhece músicas que estão tocando no ambiente, perfeito para aquela música que você está ouvindo mas não faz ideia de quem canta. Usei muito esse app essa semana, pois, com a transmissão ao vivo da lua sangrenta pelo site da NASA, as músicas de fundo eram bem legais e acabei conhecendo várias bandas que eu não conhecia. Inclusive funciona quando está ouvindo rádio no celular, e é bem útil. Então, quem não conhece baixa o aplicativo e descubra várias músicas.

A música dessa semana faz parte da trilha sonora da novela das 7, Além do Horizonte, e é da Anitta, famosa pela música Show das Poderosas.

O que achei sobre as novidades da Globo – SuperStar e Meu Pedacinho de Chão

superstar_logo_amarelo_copy

A Globo estreou duas novidades essa semana: SuperStar e a nova novela das 18h – Meu Pedacinho de Chão.

SuperStar é um programa exibido depois do Fantástico no fim do domingo, onde o intuito é descobrir uma nova banda brasileira. O programa segue o estilo do The Voice Br, tendo um foco musical. Apresentado por Fernanda Lima e André Marques, com ajuda de Fernanda Paes Leme, o programa iniciou com algumas gafes. A primeira e mais comentada foi o aplicativo disponibilizado pela Globo para que o grande público baixasse e votasse para decidir qual banda deveria de classificar, porém, o aplicativo deu erro a maior parte do tempo e milhares de pessoas não conseguiram sequer entrar, inclusive nós. (Até postamos uma foto lá no nosso twitter, @blogdasgemeas)

As primeiras bandas foram prejudicadas por um erro bobo, já que era só disponibilizar mais servidor. Outra coisa que não colou foram os técnicos/jurados: Fabio Jr, Ivete Sangalo e Dinho Ouro Preto. Eles tiveram suas participações ofuscadas e ficamos sem entender o real papel deles. Fernanda e André até formam uma boa dupla, porém seus looks foram bem questionados no twitter e facebook. No fim, pareceu uma cópia da cópia, sem novidades e grandes considerações. Vamos aguardar os próximos programas.

meu-pedacinho-de-chao-5329161762f02

Agora, falando da nova novela das seis, sua estreia que ocorreu segunda feira dividiu muitas opiniões. Vi bastante gente criticando e muita gente elogiando. A novela conta a história de uma vila, onde há um coronel que “manda” na cidade e algumas famílias que vivem nessas terras. Quem narra essa história são duas crianças e daí vem a questão de tudo ser infantilizado: os cenários, as roupas, os personagens e até as coisas das cenas (a vaca é de plástico, as frutas são fake, o cavalo de brinquedo, etc).

Muita gente questionou de não se tratar de uma novela infantil pois só há duas crianças no elenco. Realmente, a novela é vista com os olhos que você quer enxergar. Mas há um lado infantil, já que há a inocência da visão das crianças. Basta prestar atenção que é fácil ter essa percepção. Muitas cenas contém duplos sentidos (não no sentido de putaria) e cada um enxerga de uma maneira.

A cenografia é bem colorida e até chega a ser exagerada. Tons pastel se mesclam a tons mais escuros. Boa parte das cenas são desfocadas, o que me irrita um pouco, porém, faz uma mescla das cores e deixa a fotografia mais uniforme. Em relação a história, inicialmente o narrador mirim fala que a história não se passa numa determinada época, entretanto se analisarmos bem as cenas conseguirmos perceber que se trata de uma novela de época, onde não há tecnologias, há escravas negras ao invés de empregados, há o coronelismo – ficando claro que candidatos são escolhido por coronéis, há vitrolas para tocar música, muita gente anda de cavalo e só os ricos possuem carro. É uma novela que traz um novo conceito de novela de época infantilizada.

A história retrata também a questão da inserção de uma professora na vila, onde o coronel é totalmente contra. Lembra muito história da novela Lado-a-Lado, onde as épocas e muitas personagens possuem as mesmas características. Muitas profissões são clássicas e as que “fogem” desse contexto acabam não sendo aceitas, como a história mostra com o filho do coronel.

Além da historia parecer bem bonitinha, vai ser curta, com cerca de 100 capítulos, o que sinceramente acaba com a enrolação. E, vamos combinar que a baixaria e putaria vai ser deixada de lado, o que realmente é um ponto positivo. Por fim, até agora o conteúdo é de alta qualidade, e sinceramente, precisamos de novelinhas assim e menos porcaria na tv incitando a putaria, a violência, a matança desgovernada, o drama exagerado e outras coisas que temos por aqui.

Fim de How I Met Your Mother + 5 motivos pra você assistir

Se você ainda não viu o fim de How I Met Your Mother e quer desesperadamente saber o fim, leia esse texto até o fim. Saiba que esse texto terá o máximo de spoilers possíveis, então não reclame.

O último episódio da série foi um episódio duplo (23-24) da nona temporada. Foi transmitido pela CBS segunda feira (31-03-14), e marca o fim de uma das séries mais queridas dos últimos tempos.

Resumo: o episódio começa em 2005, onde o grupo (Ted, Barney, Lily e Marshall) acabam de conhecer Robin, e Lily percebendo que Ted e Barney estariam interessados nela faz com eles prometessem com que só ficariam com ela se casassem com Robin: no tempo atual Barney acaba conseguindo.

Barney e Robin estão se casando e Ted finalmente vê sua futura mulher, porém ele tem que pegar um trem para se mudar para Chicago. Acaba que o trem atrasa 45 minutos e Ted a conhece no ponto de partida do trem, e por ela, decide ficar em NY.

Em 2015, Ted está planejando um casamento grandioso e descobre que vai ser pai, e como sua mulher quer caber no vestido, só se casa sete anos depois. Barney e Robin se divorciaram depois de três anos de casados. Robin virou uma correspondente internacional e o relacionamento dos dois estava enfraquecido.

Lily e Marshall tem mais um bebê – o terceiro. Depois de algum tempo Marshall é convidado para ser juiz novamente. Robin ainda possui sentimentos por Ted e não se sente bem ao vê-lo com sua mulher na festa de Halloween.

2018 – Barney, Lily e Ted ainda se encontram no Mc’ Larens, porém, eles já não são os mesmos e não passam das 22h no bar. Barney acaba criando um novo Playbook e continua mulherengo, acaba engravidando uma mulher e tem uma filha, quando a pega no colo descobre que esse bebê é o amor da vida dele.

Ted acaba de contar a história de como conheceu a mãe de seus filhos para eles. No fim descobrimos que a mãe adoeceu e acabou falecendo. Sua filha entende que como sua mãe mal aparece na história, Ted está pedindo permissão para eles, seus filhos, para voltar a ver Robin. Com a permissão concedida, o episódio acaba com Ted com um trompete azul na casa de Robin.

O que eu achei – Fiquei pensando, e no fim não tenho uma opinião concreta. Não gostei do fato do Ted ter que correr atrás da Robin sempre, mas entendo que ela era o amor da sua vida. Mesmo assim, o último episódio não parece característico de HIMYM, com cenas mais dramáticas do que com comédias. Mas vendo com outros olhos, isso pra mim é real e pode acontecer na realidade. Pra terminar, vou parafrasear o pessoal do Insubs: não importa o destino, o que importa é a jornada, e Ted realmente mostrou sua jornada, com altos e baixos, de um jeito diferente de todos. Sua história foi contada da melhor maneira possível e isso faz da série uma das quais não vou esquecer. Então, pra quem não gostou do final, simplesmente veja o que a série conseguiu passar até o penúltimo capítulo. Tenho certeza que apesar do fim, a série foi marcante para todos.

Por último, vou deixar 5 motivos do porque você deve assistir HIMYM:

1 – A linguagem em que a série é transmitida. Todos conseguem entender e acaba sendo acessível para todos os públicos. Adoro a linguagem de todos os personagens, e acaba sendo uma série desde para “crianças” até para senhores.

2 – Os personagens: cada um muito bem definidos, com uma missão no grupo. Ted é o romântico, que vê o mundo cor de rosa. Ele é daqueles que quer casar, ter dois filhinhos, uma casa, um cachorro e uma esposa e não cansa até conseguir. Lily é a líder, tem a cabeça aberta mas tudo muito claro. Marshall é o caipira, quer um mundo melhor. Barney é o cafajeste, que só quer as coisas ao seu benefício e Robin é a estrangeira, que tem que se adaptar a vida americana.

3 – Nada fica solto. Tudo que é jogado depois é revisto e amarrado. Nenhum fio é desatado e tudo tem um porque. Talvez você nem lembra mais, mas depois de 2 ou três anos a história volta e te conta o fato real. Menos a história do abacaxi, vamos morrer sem saber do abacaxi.

4 – Tapas, sem comentários.

5 – Aproxima-se da realidade. Talvez não da brasileira, mas muitas coisas você se identifica. Talvez tenhamos amigos parecidos, talvez vivemos situações parecidas, o que deixa a história melhor. A graça tem mais graça e o drama fica mais dramático. Ted conta uma história em que tudo é possível.

Bom, é isso. Eu recomendo muito essa série. Vai deixar saudade. Pena que acabou =(