Para Ler #30: Toupeira: A História do Assalto ao Banco Central

assalto ao banco centralEm agosto de 2005, um grupo audacioso pôs em prática um elaborado plano para furtar o Banco Central, em Fortaleza: cavar um túnel de mais de 80 metros, ligando uma casa vizinha ao cofre do Banco. O assalto ocorreu na sexta-feira (06/08) e só foi descoberto no início do expediente de segunda, dando a dianteira de 44 horas para os ladrões fugirem com o dinheiro. O valor? Cerca de R$170 milhões de reais. Esse é considerado o maior assalto à Banco do país e o segundo maior do mundo.

A Jú já havia mostrado aqui no blog que, em São Paulo, é possível “Pagar o quanto acha que vale” em livros espalhados pela linha do metrô. Pois bem, nesse, pagamos R$5, sendo edição normal, folha off-white, da Ed. Planeta.  E olha que ainda veio um marcador de livro combinando, de graça 😀

Devo começar dizendo que, para quem assistiu somente ao filme, esse livro pode ser uma grande surpresa. Com tramas bem diferentes, beeem diferentes mesmo, essa publicação relaciona o assalto ao PCC (coisa que o filme fez questão de dizer que não existia), mostra um lado negro e sujo da polícia civil, e, até mesmo, chega a relacionar o roubo ocorrido em Fortaleza aos ataques do PCC em São Paulo (2006).

O grande diferencial desse livro é que não se constitui em uma artigo ou análise do assalto. É um romance! Ou seja, o autor constrói seus personagens, narra os seus pensamentos e sentimentos e o que aconteceu com cada um. No final, o Assalto ao BC acaba sendo somente a introdução para nos fazer entrar em contato com tais pessoas.

A narrativa de como ocorreram o roubo e a fuga também foi mais detalhada aqui do que no filme, nos mostrando todo o planejamento, como os ladrões despistaram a polícia deixando um rastro falso e, principalmente, o quanto que tiveram que pagar aos servidores para não acabarem em uma vala.

O autor, Roger Franchini, já foi investigador da polícia civil de São Paulo e baseou o seu relato nos autos judiciais.Após pesquisar um pouco (bem pouco), achei várias versões que batem com o que está escrito, inclusive os ataques de 2006. A única divergência é, que agora em 2013, capturaram um dos integrantes da quadrilha que acreditava-se estar morto.

Sinceramente, estou mais inclinada a acreditar nessa versão da história, apresentada-nos pelo livro, que na mostrada nos cinemas. Talvez por essa história mostrar um lado mais crível a um paulista, que querendo ou não, convive diariamente com o comando do crime organizado, e a disputa de poder com a polícia.

De qualquer forma, deixarei alguns links abaixo do que encontrei, relatos e noticias.

Tribuna do Ceará / Os envolvidos Captura de Foragido / Ataques de 2006 / Ataques de 2006

4

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s