Gastronomia #2 – Uniforme

Se você tem interesse de cursar Gastronomia, primeiro recomendo que veja esse post. Se continuou interessado pelo assunto, devo alertá-lo que a faculdade de Gastronomia não é uma das mais baratas, você terá que embolsar entre R$ 1.000 e R$ 2.000 reais nas faculdades particulares, e sinto lhe informar mas não existem tantos cursos em faculdades públicas, infelizmente. E, além de desembolsar essa grana, saiba que ganhará menos do que isso quando começar a trabalhar. Sim, você pagará a mais do que ganhará. Mas também há lados bons: o curso tem apenas 2 anos, então é um investimento mediano; não precisará gastar dinheiro com lanches na cantina; comerá comidas que nunca viu na vida; beberá vinhos muito bons que custa os olhos da cara e o principal: adquirá experiências.

A maioria se decepciona muito quando descobre que vai ganhar o mesmo ou até menos do que pagava pela mensalidade da faculdade. (Jefferson Rueda)

Agora, além de tudo, no começo ainda terá que investir em uniforme, facas e utensílios. Separe um dinheiro antecipado para isso, as vezes precisará comprá-los no mesmo mês do ínicio das aulas. Primeiro de tudo: Não compre nada por antecedência. Se realmente matriculou-se no curso de gastronomia, espere o anseio passar e vá buscar informações do que necessitará nas aulas, com os professores. Geralmente, na primeira aula eles dão uma ideia do que é necessário ter, mas varia muito de professor para professor. Aqui, vou dar uma ideia do uniforme em geral:

New-Style-and-Hot-Design-Chef-Uniform-Cu-10

1 – Dólmã– com certeza você já viu, mesmo que não saiba o nome. Todos os “chefs” usam. É o uniforme dos gastrônomos. Minha recomendação é que seja branca (geralmente é exigida a branca com detalhes pretos) de 100% algodão (prefira o algodão pois em caso de algum incêndio, o algodão queima em uma velocidade menor do que tecidos sintéticos), de mangas compridas (é uma das exigências, para evitar queimaduras nos braços), e uma dica muito importante: prefira a que tem duas faces, onde você pode trocar a parte exposta (sério, em aulas práticas seguidas sem tempo de lavar a dólmã, é muito essencial). Algumas faculdades exigem que tenha o logo bordado, então, minha recomendação é bordá-lo em tecidos removíveis que são presos com velcro, para poder “reaproveitar” sua dólmã em outras instituições.E, se você não comanda nenhuma cozinha e acabou de entrar no curso, por favor, não borde CHEF Fulano de Tal. O preço varia bastante, dependendo do tecido, cor, botão ou zíper, enfeites. Varia entre R$ 70,00 e R$ 140,00.

2 – Calça Pied Poul – famosa calça “xadrez”, prefira novamente as com 100% algodão. O tecido não aparece tantas manchas de gordura ou sujeira, por isso que são usadas na cozinha. Você encontrará as com zíper e botão ou com elástico, que são muito mais confortáveis. Geralmente estão entre R$ 40,00  á R$ 70,00.

3 – Avental – usamos o meio avental, aquele que vai da cintura até o meio da perna. As vezes é exigido cores neutras (branco ou preto), se não tiver restrições quanto a cor, prefira o preto que suja menos. Entre R$ 30,00 a R$ 50,00

4- Toque – aposto novamente que você vê em todos os lugares, mas não faz a mínima ideia do nome. O toque é o famoso chapéu do chef. Há os de pano e os descartáveis. Se possuir cabelos compridos, prefira os de algodão. Estão entre R$ 10,00 e R$ 15,00 reais.

5 – Sapatos – Um dos itens mais importante do uniforme. Um bom sapato fará muita diferença nas muitas horas que permanecerá em pé. Não considere preço na hora de comprar um. Os sapatos para cozinha devem ser anti-derrapantes, totalmente fechados e de materiais resistentes. Eu recomendo o Crocs Bistrô, aquele fechado que não tem os furinhos. Muitas pessoas odeiam os Crocs, mas eles são milagrosos quando se passa o dia todo de pé. Ok, a aparência não é tão legal assim, mas você não ligará para isso em nome do conforto. Prefira o preto, para não aparecer a sujeira. O preço do Crocs Bistrô é por volta de R$ 130,00.

Bom, o melhor lugar para comprar em São Paulo é na Paula Souza. Lá você vai encontrar muitas lojas para experimentar. Recomendo que não compre nas primeiras lojas e caminhe mais um pouco, pois encontrará produtos de melhor qualidade. A maioria do meu uniforme comprei na loja Avental & Cia. Recomendo.

E, irei tentar fazer um post sobre as facas e utensílios também, então, continuem acompanhando =)

Filme: Pitch Perfect – A Escolha Perfeita

escolha1_zpsde2d67b9

Graças ao post de domingo (se você não viu, clica aqui), onde a moda do Cup Song surgiu do Filme “A Escolha Perfeita”, decidi baixa-lo assisti-lo pois houve uma curiosidade para saber mais sobre o assunto.

O filme é estrelado pela Anna Kendrick que ficou famosa após atuar na saga Crepúsculo que vive Beca, uma estudante universitária que entra para a irmandade The Barden Bellas, grupo formado até então por belas garotas que cantam músicas em capela. Graças a um incidente no ano anterior, a característica da irmandade acaba mudando e juntas formam um grupo “alternativo”.

Uma mistura de Glee com um toque de High School Musical foi o que achei desse filme. Sem nenhuma novidade ou surpresa, típicos de filmes musicais. A seleção das músicas é muito boa e é aquele filme pra ver no sábado de tarde. Faz bastante referências a discos, filmes e músicas de uma forma descontraída.

Um vídeo de uma batalha que aparece no filme:

Merece 3 estrelas pela seleção musical e pela Fat Amy. =)

3

Para Ler #3 – A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista

E tem alguém que gosta de aeroportos?4 minutos! 4 minutos é o quanto Hadley se atrasa para seu voo. Por 4 minutos, não consegue embarcar naquele avião. E esses 4 minutos farão toda a diferença na história.

Hadley está indo para um casamento em Londres. Motivo de felicidade, certo? Não. O casamento é de seu pai com Charlotte, sua futura madrasta. E, no fundo, Hadley nunca perdoou o pai por ter abandonado sua mãe.

Portanto, quando é forçada a ir á um casamento que não quer, em um país desconhecido, ver seu pai se casar com uma mulher que jamais conheceu, Hadley pensa que nada poderia ficar pior, até que perde seu voo e é forçada a embarcar no próximo avião. No entanto, nem tudo está perdido, afinal, é nesse voo que conhecerá o charmoso Oliver.

A história não possui nada inédito ou extraordinário, é até simples: dois estranhos se conhecem, conversam por poucas horas e acabam por criar uma forte ligação. Pronto. É isso.

O diferencial do livro está na maneira que é narrada essa história. Adorei a escrita de Jennifer E. Smith, pois faz algo comum se transformar em bom, sem deixar a história “truncada” demais. E olha que não deve ter sido fácil, afinal, é bem previsível.

O estilo da Jennifer é um estilo muito gostoso de se ler, fluído. Li o livro inteiro em 3 horas. Ela conseguem misturar muito bem drama, comédia, passado, presente e tudo o mais, o que, se não “destorna” a história clichê, faz dela uma narrativa perfeitamente crível. Os personagens agem na hora certa e da maneira esperada para a idade deles. Oras, qual a possibilidade de você encontrar um estranho no avião e se apaixonar por ele? Nunca acreditei nisso, porém acho que, com uma mínima possibilidade, é verdade, agora pode acontecer.

Vi algumas resenhas dizendo mal do livro pelo “drama interno” das personagens, no entanto, não nos esqueçamos que eles são jovens, adolescentes praticamente, e que é justamente pra essa faixa etária que a publicação é voltada.

Me surpreendi demais com esse livro, pois não esperava nada dele. Com certeza lerei outras histórias da mesma autora, senão pela “brilhante originalidade”, pelo estilo de escrita.

4

Domingo é dia de… Música \o/ #4: Cup Song – When I’m Gone

when i'm gone

Ontem estava assistindo ao “Caldeirão do Hulk”, quando passou uma apresentação intitulada “Cup Song – When I’m Gone”, cantada pela Mariana Rios e um ótimo coral, e na hora eu pensei: “Que estranho, já tinha visto esse vídeo na internet há uns 3 anos..” Quem quiser assistir ao vídeo, pode acessar o site da globo por esse link

Fiquei com aquilo na cabeça e descobri que estava certa! A performance original com os copos era intitulada “You´re Gonna Miss Me” do grupo “Lulu and the Lampshades”, que foi baseada na música  “Miss Me When I’m Gone” de  J. E. Mainer’s Mountaineers.

Reparem que o vídeo é de 4 anos atrás, e tem até um link com possibilidade de compra da música. O mesmo grupo lançou uma versão de estúdio no Youtube:

Então, por que, como o próprio Hulk diz, isso virou febre agora? E eu também achei a resposta.

No ano passado lançaram o filme “Pitch Perfect” (“A Escolha Perfeita”, no Brasil), sendo que em uma das cenas, Beca (Anna Kendrick) canta a música com os copos.

Também chegaram a fazer um clipe com a Anna Kendrick:

Daí foi fácil virar viral na internet, com vários covers legais no youtube. Basta procurar por “Cup Song” ou “When I’m Gone”

Quem aí como eu tá louca pra assistir ao filme e tentar fazer a performance, agora? Rs 😉

Acho que vou ficar só no filme mesmo, porque impossível para mim ter tenta coordenação motora e ritmo

Blogs e Vlogs que você deveria conferir #3 – Manual do Mundo

Estou tentando diversificar os blogs e vlogs escolhidos, realmente citar quem faz um conteúdo diferente. Dessa vez, escolhi o canal do Iberê. Acompanho já à bastante tempo (desde quando ele fazia coisas perigosas), seu canal agora está voltado para o público mais infantil e mesmo assim assisto seus vídeos.

O Iberê evoluiu muito com o passar do tempo, e hoje seus vídeos estão cada vez mais profissionais. Criou também um site http://www.manualdomundo.com.br/ onde seus vídeos estão separados por categorias.

Seus vídeos abordam assuntos diversos, desde mágica, faça você mesmo, experiências químicas/fisicas/biológicas, receitas, pegadinhas, perfeitas para concursos escolares ou mesmo fazer uma pegadinha com seus amigos.

Meu vídeo favorito já tem 1 ano quando ele ainda fazia em casa e é uma experiência de como fazer um microscópio caseiro com laser. Segue o vídeo abaixo:

Vejam o trabalho incrível que ele realiza e nos diverte. =)

Geração Y

Hoje quero falar sobre um assunto totalmente diferente. Ontem, na aula da pós (possuímos mais discussões/debates do que matéria e aula realmente)  o assunto que surgiu foi sobre a Geração Y. Minha geração, com muito orgulho. Estávamos falando sobre essa geração, que vive na era digital, já nasce sabendo mexer com tecnologias, que possui todas as informações do mundo e como isso influência no trabalho, nos negócios. A primeira pergunta da professora foi: Quem aqui tem menos de 25 anos? Percebi que entre 6 e 10 pessoas levantaram a mão ( não deu pra ver todos, a minha sala tem 60 pessoas), mas aí me veio a mente: nossa, apenas 10 a 15% da minha sala é dessa geração. E, refletindo sobre isso, acho que meu pensamento estava totalmente equivocado, pois duvido que alguns anos atrás, 15% da sala de uma pós graduação tinha menos dos 25. Todos começavam uma pós pela necessidade, pelo curriculum, pela empresa. Hoje, nós, dessa geração, estamos em busca do conhecimento, pelo próprio desejo, por querermos aprender mais, pela nossa paixão pela profissão.

Logo me veio a mente um vídeo do youtube que tinha assistido, e fala sobre isso, sobre fazermos o que amamos. Me identifico muito com ele, ele fala o que sentimos, o que fazemos e por que fazemos. Nossa geração é diferente, e espero que faça a diferença. Não vemos os outros como superiores ou inferiores a nós. Temos mais consciência ambiental que nossos pais (eu tive uma matéria de meio ambiente no ensino médio, muito diferente de outros tempo, em que as matérias eram todas as “básicas”) . O vídeo tem 10 minutos, mas vai fazer você refletir bastante, vale a pena.

Parece mais importante curtir o caminho do que chegar no destino final.

E, pesquisando mais sobre esse assunto, encontrei uma matéria na Galileu, onde descreve e complementa o vídeo, muito interessante também: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG87165-7943-219,00-GERACAO+Y.html

Faça diferente, faça a diferença e curta o caminho.

Viciadas em Séries #3: Hannibal

hannibalsérie

Se você é igual a mim, aposto que logo que viu esse título ficou louco! Sim! Acredite! Ele está de volta! E agora em série! Mais, muito mais para nós “apreciarmos”, rs. Mas calma! Se você não entendeu nada do que essa entusiasta disse, vamos do começo:

Desde muito pequenina (tanto que nem me lembro da idade ao certo) eu assistia aos feitos do psiquiatra canibal Hannibal Lecter em “O Silêncio dos Inocentes”, filme estrelado por Jodie Foster e Anthony Hopkins e baseado no livro de mesmo título, escrito por Thomas Harris. Sempre fui fascinada por sua genialidade, apesar de ele comer pessoas =/. Quando fiquei mais velha, fui procurar saber mais sobre a história e descobri que o célebre canibal foi personagem em quatro livros do mesmo autor: “Dragão Vermelho”, o já citado “O Silêncio dos Inocentes” , “Hannibal” e “Hannibal, A Origem do Mal”, que deu origem à 5 filmes homônimos aos livros (um é a regravação de “DragãoVermelho”).

Quando uma amiga de faculdade comentou comigo que havia sido lançada uma série sobre o Dr. Lecter, sai correndo para assistir e… me apaixonei *_*

A série conta a história do genial Willian Grahan (que aparece em “Dragão Vermelho”), consultor do FBI na elaboração de perfis criminosos, e de como ele se torna paciente do Dr. Lecter.  No entanto, Will não sabe que seu psiquiatra, mestre e mentor é na realidade um terrível psicopata canibal!

Até agora, a série só tem a receber meus elogios. Lógico que eu apreciei mais Anthony Hopkins no papel de Hannibal, no entanto, o dinamarquês Mads Mikkelsen também está realizando uma excelente atuação.

De tudo o que vi até agora, Hannibal, a série, merece 5 estrelas e espero muito mais dela 😛

5